12 de mai de 2014

Sou Mãe... a mais sortuda de todas!



Comemoramos ontem o dia das Mães, em grande estilo! 
Há 1 ano e 9 meses o Senhor Deus me concedeu a graça de trazer ao mundo um ser lindo, saudável e belo, minha Lavínia, minha Tutti, meu docinho... Filha, com você tenho aprendido tanto! Te amo tanto de uma forma que nem consigo explicar! Você é a mola que me impulsiona pra frente, me faz querer ser melhor, ser mais! Por isso, obrigada. 
E como se já não houvesse tanto a comemorar, mais um plano se concretizou, e minha linda a.FILHA.da Lorrany veio morar conosco, finalmente! Negrita, talvez você não entenda hoje o amor que sinto por você, mas ele é imensurável! Com você é diferente, pois escolhi você para amar, proteger e cuidar como minha própria filha, nascida diretamente do meu coração. Por isso, obrigada por me aceitar e por querer embarcar comigo nessa aventura maternal. 
Amo vocês, suas lindas... hoje e sempre! Contem comigo haja o que houver!


26 de set de 2013

A 1ª festa de aniversário - Vintage - Lilás e Verde

No dia 10/08/13, Lavínia completou seu primeiro ano de vida. Não podíamos deixar de comemorar essa data tão marcante e importante para nós.
Nunca pensamos em extrapolar nosso orçamento para fazer essa primeira festa, já que, na maioria das vezes as crianças nunca se divertem ou aproveitam a festa completamente. Então pensamos num tema inicial que seria O Pequeno Príncipe, porque foi o primeiro livro que comprei e li para ela (estava no 7º mês de gestação), no entanto tivemos dificuldades em encontrar, aqui em Brasília, uma decoração que se encaixasse na nossa perspectiva.
Faltando apenas um mês para o aniversário e depois de dias pesquisando sobre o assunto na internet decidi mudar o tema para: inexistente... rs... Na verdade, usamos a decoração do quarto dela como inspiração pra criar uma decoração bem simples que pudesse ser chamada de vintage.
O local escolhido foi a casa da Vovó Ducarmo e do Vovó Edval devido ao tamanho da área e a privacidade.
Esbarramos então na segunda dificuldade, ao invés de alugar aquela mesa imensa com personagens imensos e arcos de balões coloridos, nós procuramos um lugar onde pudéssemos alugar a mesa provençal. É incrível como a gente não acha nada do que precisa no Google quando o assunto é Brasília. Depois de horas na frente do computador encontrei o site da Bela Artes, uma empresa que aluga mesas provençais de altíssima qualidade e como se já não fosse ótimo a loja deles ainda fica pertinho da nossa casa e o atendimento foi profissional e maravilhoso.
Nossa preocupação (talvez a maior de todas) foi o que servir aos convidados. Encomendamos o bolo, os doces e cupcakes com a Maria Gelza que é nossa doceira oficial...rs. Os salgados encomendamos com uma vizinha da Gelza, cujo salgados são magníficos. A Tia Ducarmo fez um caldo de carne, a Rose fez o cachorro quente e a Tia Carmelita fez o caldo de frango, enfim... muita comida mesmo!!!
Tivemos ajuda dos Tios para executar a decoração que eu mesma fiz (aprendi com vídeos do youtube).
Tudo foi simples, não ficou com cara de trabalho profissional, mas eu fiquei imensamente feliz de ter feito parte da festa com minhas próprias mãos, além de ter sido mais econômico até que foi bem divertido machucar minhas mãos com a tesoura ao recortar as flores de papel de seda...rs.
Graças a Deus o humor da Lavínia estava ótimo! Ela só não se divertiu mais porque não deixamos ela no chão (os passos dela ainda não estavam firmes o suficiente e ainda por cima tinha uma rampa enorme no meio da garagem).
Foi muito bom ver a alegria nos olhos da Lavínia, receber nossos amigos mais próximos e alguns parentes para celebrar conosco o aniversário do nosso tesourinho.
Vou colocar as fotos aqui pra vocês terem uma noçãozinha de como ficou tudo.


Usamos o berço aposentado da Lavínia como mesa de guloseimas.
Escolhemos lilás e verde porque são as cores que compõe a decoração do quarto dela.

7 de ago de 2013

11º Mês... rumo a comemoração do 1º aninho

O 11º mês da Lavínia foi tão ou mais maravilhoso que os anteriores. Ela é uma criança muito inteligente, muito ativa, comunicativa e tem um espírito destruidor invejável...rs.
Se eu dominasse bem o uso dessas novas tecnologias faria um vídeo dela pra postar aqui e pra que vocês tenham a real noção do que um bebê de 11 meses é capaz.
Pois bem, já entramos nas fases de birras e gritos quando contrariada ou quando quer algo que não entendemos o que é; já fala algumas palavras, minhas preferidas são: "belãobelão" = balão, "psiar" = passear e "mãmã'... é claro! Já anda pra todos os lados, mas sua real intenção é correr por aí livremente.
Estamos tentando ensiná-la a falar ao invés de gritar e espernear. Não sei se devido à correria dos últimos dias ou se é pelo fato de estar crescendo mesmo, a pequena tem dormido melhor à noite, porém briga pra dormir durante o dia... as Dindas penam!
Entende tudo o que a gente diz, enquanto a gente se esforça pra entender o que ela diz num idioma meio "minion" (personagens do filme Meu Malvado Favorito).
Ainda amamento quando estou em casa, contudo a dieta dela é bem variada, come tudo (verduras, frutas, lanchinhos...).
Lavínia é muito charmosa e já sacou que é detentora de um ENORME pode de PERSUASÃO... então ela faz caras, dá beijinhos, aponta e se for preciso bate, arranha e morde também.
Parece que encontrou um novo prazer além de desbravar o mundo ao seu redor: cheirar as suas Melissas. Ela faz um narizinho que é a coisa mais perfeita do UNIVERSO INTEIRO AO CUBO!!! =P
É gente, sou babona... e fico insuportável falando da minha gostosura.
Sábado próximo minha filha completa um ano e a sensação que tenho é a de que o tempo está voando. Parece que foi ontem que tudo começou... Acredito que tenha sido o melhor ano de nossas vidas.
Aprendemos tanto, caímos tanto, choramos, sorrimos e foi tudo muito gratificante.
Fico sempre à espreita das novas estripulias de Lavínia, tentando adivinhar o que virá a seguir...
Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos...rs.
Até mais!!!!

2 de jul de 2013

Quando você acha que tem todas as respostas...

... vem a vida e muda todas as perguntas, disse Luis Fernando Veríssimo. Sábio ele, não?!  Como se você já não tivesse problemas suficientes pra resolver não é mesmo?!

Então, em meio a um turbilhão de emoções e decisões tomadas... encontrei este texto:
   "Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida... 


Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar, encontraram na portaria um cartaz enorme, no qual estava escrito:



"Faleceu ontem a pessoa que atrapalhava sua vida na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".



No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava atrapalhando sua vida e bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande, que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório. Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:



- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso ?
- Ainda bem que esse infeliz morreu !



Um a um, os funcionários, agitados, se aproximavam do caixão, olhavam pelo visor do caixão a fim de reconhecer o defunto, engoliam em seco e saiam de cabeça abaixada, sem nada falar uns com os outros. Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma e dirigiam-se para suas salas. Todos, muito curiosos mantinham-se na fila até chegar a sua vez de verificar quem estava no caixão e que tinha atrapalhado tanto a cada um deles.



A pergunta ecoava na mente de todos: "Quem está nesse caixão"?



No visor do caixão havia um espelho e cada um via a si mesmo... Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: VOCÊ MESMO! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida. Você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo. "SUA VIDA NÃO MUDA QUANDO SEU CHEFE MUDA, QUANDO SUA EMPRESA MUDA, QUANDO SEUS PAIS MUDAM, QUANDO SEU(SUA) NAMORADO(A) MUDA. SUA VIDA MUDA... QUANDO VOCÊ MUDA! VOCÊ É O ÚNICO RESPONSÁVEL POR ELA."



O mundo é como um espelho que devolve a cada pessoa o reflexo de seus próprios pensamentos e seus atos. A maneira como você encara a vida é que faz toda diferença. A vida muda, quando "você muda".
(Luís Fernando Veríssimo)

24 de jun de 2013

Do 5º ao 10º Mês

Ah! Sábio foi aquele que disse que a maternidade é padecer no paraíso. Não parece ser tão difícil quando você vê nas propagandas aquelas mães lindas, felizes e sorridentes... mas a verdade é que ser mãe te deixa à beira do caos. Tudo é muito extremo, a começar pelo amor que você passa a sentir pela pequena criatura que se aninha em seus braços... é tenso!
Você quer protegê-lo de tudo, você não vê mais os noticiários, você não lê mais jornal porque você tem medo de que todas as mazelas do mundo recaiam sobre seu amado bebê.
E o tempo? O tempo passa tão depressa que as horas parecem correr (menos quando você está no trabalho e morrendo de saudades daquele cheirinho de neném) e quando você se dá conta ele(a) está prestes a completar seu 1º aninho.
Nos últimos 6 meses meu marido e eu passamos por poucas e boas: os enjoos por causa dos dentes, os gritos durante a madrugada, a 1ª gripe, a perda da nossa privacidade e da nossa cama...
Em contrapartida, nós acompanhamos todos os aprendizados: a 1ª vez que engatinhou , a 1ª vez que ficou de pé (no dia do meu aniversário ^^), as primeiras palavras (mãmã, pápá, eita, neném), os primeiros sons, as primeiras gracinhas, o abraço apertado, o beijinho rápido, o dar "tchau", o "chamar", o bater palmas, a dancinha maluca...tantas alegrias!!!!
Lavínia tem sido pra nós muito mais que inspiração, ela é o nosso amor abstrato transformado em algo concreto e palpável... ela é nosso maior tesouro, nosso motivo de ir além.
Sinto saudade dela em cada minuto do dia e conto as horas pra chegar em casa e ver aquela carinha sapeca de felicidade porque mamãe chegou em casa e ela pode aproveitar todas as vantagens de um  pepête só dela...rs.
Agora tudo faz sentido! Tudo compensa!
Faltando pouco mais de um mês para seu primeiro aniversário só me resta organizar a programação... ó céus! As mães realmente não têm folga! Rs... adoro!!!! =D

14 de mar de 2013

Inquietações

Já faz algum tempo que venho me questionando acerca de diversos aspectos da minha vida e da minha personalidade (questionamento que veio à tona com a maternidade). E esse questionamento superficial de todas as escolhas, das coisas que não ousei fazer e do que realmente quero fazer me deixou um pouco desapontada comigo mesma.
O nascimento da minha filha provocou uma abalo na minha estrutura e consequentemente abriu margem pra uma série de reflexões sobre a "vida correta" que eu pensei levar e então parei pra me perguntar se era desse jeito que eu queria viver minha vida, se era esse tipo de "vida" que eu queria levar.
Analisando, friamente, eu sempre fui aquela pessoa que buscava a aprovação das outras pessoas. Sempre fiz o que as pessoas esperavam que eu fizesse, sempre fui a pessoa que esperavam que eu fosse: a boa menina que só queria agradar a todos.
Esqueceram de me ensinar que a gente cresce e que nem sempre as coisas acontecem da maneira como planejamos.
Minha cabeça agora é um turbilhão de perguntas sem repostas: tantas lutas pra quê? Tanto esforço em vão? A vida que vivi todos esses 27 anos é o resultado do que as outras pessoas queriam para si mesmas? E o que eu queria? O que eu quero?
A gente tende a viver como zumbi quando deixamos de viver nossos sonhos porque fomos criticados severamente por alguém frustrado que teve seus sonhos ridicularizados, quando deixamos de cometer loucuras porque nos ensinaram que viver de maneira segura era a melhor escolha, quando deixamos de nos aventurar por medo, por não acreditar que tudo é possível ou por não acreditarmos no nosso próprio potencial, porque fomos adestrados a não trocarmos o certo pelo duvidoso. Por tempo demais acreditei em todas essas tolices. Por muito tempo me deixei podar pela ignorância alheia.
Até aqui deixei de escrever a minha própria história, do modo como havia esboçado num cantinho seguro da minha mente, num passado distante, numa época em que eu ainda acreditava que poderia mudar o mundo. Até aqui fiz tudo o que as pessoas esperavam de mim, o que o mundo me convencionou a fazer, o que é "correto", o que é "digno"... o que é "seguro".
Percebo, hoje, quanto tempo perdi tentando agradar, tentando obter aprovação, esquecendo que a única aprovação que importava era a minha. Percebo, hoje, que minha vida, tomou um rumo que não me agrada, embora eu não queira mudar alguns aspectos dela que me são vitais (a família que formei).
A dura realidade se resume no seguinte: estudo o que não gostaria, não amo meu trabalho "estável" e não sou bem remunerada para fazê-lo, mas ainda assim tento dar o melhor de mim. A gente aceita essa realidade e se acomoda com ela. A gente simplesmente abaixa a cabeça e deixa a vida nos levar.
Então vem mais um turbilhão de perguntas que me fazem perder o sono: Quem sou eu? Quem eu quero ser? Que tipo de exemplo/modelo quero ser para minha filha? Quais são os riscos que estou disposta a correr para ser esse exemplo/modelo?
Sinto uma enorme necessidade em responder a todas essas inquietantes questões, porém ainda não encontrei as respostas. Cheguei num ponto onde me faltam: estímulo, metas realistas e objetivas, força, coragem... determinação para fazer acontecer.
Preciso, antes de tudo, saber quem sou e o que realmente quero, além disso, o que é preciso para chegar lá. Pelo menos uma vez na vida, fazer algo por mim e para mim sem pensar na opinião alheia, tendo por base apenas os meus valores e princípios.
Quero ir além do que sonhei, transformar meu esboço imaginário num plano de ação e depois numa bela realidade. Preciso agir mesmo tendo medo do desconhecido, do inesperado e dos obstáculos... por mim... para que eu possa me orgulhar da pessoa que sou... para que minha filha um dia possa se orgulhar de mim e, como eu almejo encontrar o meu próprio caminho, ela encontre o seu próprio e seja feliz. 
RUMO AO 1º PASSO PARA O AUTOCONHECIMENTO, A AUTO-ESTIMA, A INDEPENDÊNCIA, A REALIZAÇÃO E AO SUCESSO. A PARTIR DE AGORA EU ESTOU NO COMANDO DA MINHA VIDA E É DEUS QUE VAI ME CONDUZIR.

8 de jan de 2013

Desapegar-se

Viver é um constante desapegar-se.
Desapegar-se do que já foi, do que nunca será.
Desapegar-se do velho, do antigo, do demodè.
Desapegar-se do que foi bom, do que foi ruim, do que foi razoável.
Desapegar-se daqueles que um dia importaram e que já não importam tanto assim.
Desapegar-se de sonhos antigos que não se concretizaram.
Desapegar-se do que sobra, do que nos é indiferente.
Desapegar-se de si mesmo.
Desapegar-se dos outros.
Desapegar-se do que faz mal, do que não faz mais coisa alguma.
Desapegar-se do tempo.
Desapegar-se... simplesmente.